Saiba como negociar o seu próximo salário

A negociação de um salário pode ser um processo desconfortável. Se por um lado quer receber aquilo que acha justo, por outro não quer ofender ou assustar o seu futuro empregador. E esta é uma situação ainda mais complicada num mercado de trabalho competitivo e em constante mutação. Quando as ofertas são poucas e a procura é enorme, como se verifica actualmente, há a tentação de aceitar qualquer oferta. Mas, na maior parte dos casos, não é a medida mais inteligente, diz a Harvard Business Review.

 

O que dizem os especialistas? Independentemente de como está o mercado de trabalho, deve sempre negociar. Katherine McGinn, professora na Harvard Business Scholl, diz que “nunca devemos dizer apenas obrigado”. É que arranjar um novo emprego significa, muitas vezes, uma oportunidade para aumentar os rendimentos que não surge sempre ao virar da esquina. Por isso, quando estiver a negociar o seu próximo salário, lembre-se destes principios essenciais.

Conheça as alternativas. “O conselho que me deram quando estava a acabar o meu curso foi de ter uma segunda escolha no bolso quando estava a negociar a primeira”, diz Danny Ertel, fundador da empresa de consultadoria Vantage Partners e co-autor da obra « Como negociar quando Sim não é suficiente». Claro que isto é muito mais complicado numa altura em que rareiam os empregos. Quando não há alternativas, a força negocial desce de forma acentuada. Por isso, é preciso ser criativo para demonstrar que pode ser uma mais-valia para a empresa onde pretende trabalhar. É que se numa altura de emprego, as empresas buscam quem saiba fazer o trabalho, em tempos de de desemprego querem mesmo a melhor pessoa para essa tarefa.

Faça pesquisa. Os empregadores determinam os salários a partir do que já pagam a outros funcionários com tarefas similares e com base daquilo que acreditam serem os valores do mercado. Numa negociação, informação é poder, por isso quanto mais souber sobre estes assuntos, melhor. Procure em websites para coligir informação sobre a empresa a que se candidata e o que ela paga. Utilize o Facebook e o LinkedIn para encontrar pessoas que possam saber qual o salário apropriado para a função a que se candidata. Pode ser alguém de confiança dentro da organização ou contactos na mesma área. Claro que pode ser desconfortável perguntar a um amigo quanto ganha. Daí que pode tentar outra abordagem , como perguntar quanto é que acha que a empresa paga em média pelas funções em causa. Use essa informação em seu proveito e para impresionar quem o entrevista. De certeza que lhe vão perguntar quanto quer ganhar. Se assim for, responda honestamente. O empregador precisa de saber se está dentro dos seus limites.

Quando a oferta é muito baixa. Se os números que lhe apresentam estão muito abaixo do esperado, rejeite de forma educada. Argumente com a sua experiência e sustente a sua ideia com a informação que reuniu anteriormente. Mesmo que fique satisfeito com a oferta inicial, negoceie outros aspectos do trabalho. Vai impressionar o seu empregador por se interessar por algo mais que apenas o salário.

Foque-se no «nós». Durante a negociação, não dê a ideia de que está a apresentar uma lista de exigências. Tente antes demonstrar de que está a querer chegar a um ponto de consenso. Use liguagem positiva e mostre que está disponível a propostas para além da sua. Não vai querer que o potencial empregador fique farto de si antes do primeiro dia de trabalho…

Vá além do dinheiro. Muita gente comete o erro de negociar uma compensação em vez de um emprego. Muitos candidatos estão focados no dinheiro, por ser algo tangível, mas há mais coisas que fazem da posição pretendida algo de atractivo. Não esqueça esses pormenores, como a possibilidade de subir na carreira, trabalhos excitantes ou aprender com os melhores.  

Princípios a reter

Sim. Contacte outras pessoas que lhe possam dar informações sobre o que a empresa costuma pagar; Seja razoável e honesto sobre o salário que está disposto a aceitar; Ofereça soluções que possam ir de econtro aos seu intereses e do seu empregador.

Não. Evite negociar apenas o salário. Há outros aspectos não-monetários com grande importância; Não aceite a oferta inicial que lhe é feita, se for muita aquém das suas expectativas, mesmo se não tiver outra alternativa; Chegar a uma entrevista com uma lista de exigências é mau caminho.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 22:51 | comentar | favorito