05
Mai 12

Passos diz não a baixos salários

O primeiro-ministro criticou ontem o modelo de crescimento do País dos últimos anos, referindo-se concretamente "aos baixos salários" e à "dívida insustentável". Portugal adoptou, segundo Passos Coelho, um modelo de "empobrecimento". O primeiro-ministro falava na sessão de abertura do Conselho para a Globalização, organizado pela COTEC.

Já o Presidente da República, Cavaco Silva, em conferência de imprensa no final do evento, reconheceu que a taxa de desemprego em Portugal é "muito elevada" e considerou dramática a situação dos 160 mil jovens desempregados. "É o maior drama que temos neste momento", sublinhou o Presidente, que disse ter expectativas de uma inversão na tendência da taxa de desemprego no segundo semestre.

O gabinete de estatísticas europeu (Eurostat) divulgou que a taxa de desemprego em Portugal atingiu os 15,3 % mas Cavaco disse aguardar pela divulgação da taxa calculada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). "Estou com muita curiosidade (pelos dados do INE)", admitiu Cavaco Silva.

O Presidente esteve reunido, no âmbito da COTEC, com portugueses que ocupam lugares de destaque em multinacionais e espera que aqueles responsáveis promovam Portugal no estrangeiro.

fonte:http://www.cmjornal.xl.pt/


publicado por adm às 15:03 | comentar | favorito
02
Mai 12

Salários do público e privado comparados

Trabalhadores das empresas públicas vão ver os salários reduzidos até 2015.

O Governo prepara-se para rever os salários na função pública. O Documento de Estratégia Orçamental (DEO) abre a porta à revisão da política salarial nos próximos quatro anos e refere mesmo que um dos critérios a considerar será a "comparação com o sector privado".

Para já, o Executivo irá realizar um estudo sobre a administração pública na vertente salarial e de emprego, explica o documento.

Recorde-se que a segunda actualização do memorando assinado com a ‘troika' previa uma revisão das tabelas salariais da função pública, uma medida que chegou a ser anunciada pelo secretário de Estado Hélder Rosalino. O ministro das Finanças, Vítor Gaspar, assegurou depois que o Governo não tinha intenção de alterar as tabelas este ano nem nos próximos.

fonte:economico.sapo.pt/n

publicado por adm às 08:27 | comentar | favorito
02
Ago 11

"Super-ministro" explica super salário da sua "super-chefe de gabinete"

Oposição confrontou Álvaro Santos Pereira com o vencimento recorde da sua colaboradora. "A qualidade tem de ser paga", explicou o ministro da Economia e Emprego
.

A questão foi lançada pelo socialista Paulo Campos durante a audição de Álvaro Santos Pereira na comissão parlamentar de economia: como se explica que o ministro, que tanto falou aos deputados sobre a sua vontade de cortar nos gastos excessivos, tenha nomeado uma chefe de gabinete que ganha "mais 50%" do que os chefes de gabinete dos restantes ministros?

Álvaro Santos Pereira, que tem sido tratado (até pelos deputados da oposição) como "super-ministro" confirmou que "é verdade" que o salário da sua colaboradora é mais alto e deu a sua explicação: "Também é verdade que a minha chefe de gabinete é uma super-chefe de gabinete. Está a perder mais de 50 mil euros em ordenado por estar a trabalhar para nós", justificou Santos Pereira.

"Desde que sejam respeitadas as regras estabelecidas pelo Governo para salários, a qualidade tem de ser paga", insistiu o ministro, considerando que "esta pessoa tem as qualidades que é preciso para governar um super-ministério da melhor maneira".

Em causa está Marta Neves, que, segundo o site das nomeações do Governo, recebe um salário bruto de 5.821 euros. Todos os outros chefes de gabinete dos ministros recebem 3.892 euros brutos - a diferença é superior a 40%. A chefe de gabinete de Álvaro Santos Pereira é a mais bem paga de todos ministérios que já disponibilizaram esta informação, incluindo até o gabinete do primeiro-ministro - Francisco Ribeiro de Menezes, chefe de gabinete de Passos Coelho, recebe 4.592 euros.

"Regalias exageradas e salários desproporcionados"

Por mais do que uma vez ao longo da audição parlamentar, o ministro da Economia e Emprego comparou o seu ministério com os "dois ministérios e meio" que veio substituir, informando que "houve uma redução de cerca 50%" na quantidade de adjuntos e assessores.

Santos Pereira prometeu ainda que, nos organismos e empresas públicas quer tem sob a sua tutela, o número de dirigentes terá uma "redução na ordem de pelo menos 30%". O governante insistiu que encontrou "regalias exageradas e salários desproporcionados, que serão devidamente analisados e reajustados".

fonte:http://aeiou.expresso.pt/

publicado por adm às 22:21 | comentar | ver comentários (1) | favorito
01
Ago 11

Finanças ajustam prazos de pagamento dos salários na Função Pública

Conheça as novas datas de pagamento de salários nos diversos órgãos do Governo, com efeitos a partir do mês de Agosto.

A partir deste mês, alguns funcionários públicos vão passar a receber o salário dois dias mais tarde. A alteração tem a ver com a nova orgânica dos ministérios.

A orgânica do novo Governo "implicou a reafectação de diversos serviços em termos das respectivas tutelas ministeriais", o que implica ajustamentos nas datas de pagamento dos salários dos funcionários abrangidos por estas alterações, avança o Ministério das Finanças num comunicado.

Estas alterações já tinham sido, aliás, publicadas no Diário da República no dia 21 de Julho, num aviso do Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público.

Assim, a partir de Agosto haverá alterações para alguns trabalhadores que no anterior Governo estavam sob tutela das Obras Públicas, recebendo o salário a dia 20 e que agora, tendo sido reafectados no Ministério da Economia, passam a receber a dia 22 de cada mês. Também os funcionários do Ministério do Ambiente, pasta que agora integra o Ministério da Agricultura, passam a receber o ordenado dois dias mais tarde, a 23 de cada mês.

Recorde-se que o aviso publicado em Diário da República definia ainda a proibição de antecipação de qualquer pagamento de salários e de subsídios.

Dia 20

Encargos gerais do Estado
Presidência do Conselho de Ministros
Ministério das Finanças
Ministério da Defesa Nacional
Ministério da Solidariedade e da Segurança Social
Ministério dos Negócios Estrangeiros

Dia 21

Ministério da Administração Interna
Ministério da Justiça
Ministério da Saúde

Dia 22

Ministério da Economia e do Emprego

Dia 23

Ministério da Educação e da Ciência
Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território

fonte:http://economico.sapo.pt/

 

publicado por adm às 22:43 | comentar | favorito
31
Jul 11

Meio milhão de euros para salários. A contratação de Passos vai a meio

São 235 nomeações. É este o número de pessoas que foram escolhidas para integrar os gabinetes dos vários ministérios do governo de Pedro Passos Coelho e que vão custar ao executivo quase 540 mil euros. Mas a conta ainda não está fechada, até porque a lista publicada pelo governo ainda não inclui todos os ministérios e há gabinetes - na lista já conhecida - que ainda não estão completos.

Falta divulgar as equipas dos Negócios Estrangeiros, da Administração Interna, da Justiça, da Educação e Ciência, da Economia e Emprego, da Solidariedade e Segurança Social, além da secretaria de Estado dos Assuntos Parlamentares e da Igualdade, ou seja, a outra metade deste executivo. Os novos nomes, de acordo com o primeiro-ministro, deverão ser conhecidos ainda este fim-de-semana e o governo já veio assegurar que irá manter o site que foi criado para divulgar as contratações do executivo "permanentemente actualizado".

A lista que já está disponível revela o nome, o cargo, a idade, o vencimento mensal bruto e o contacto electrónico das primeiras escolhas para os gabinetes governamentais. Esta medida acaba por ir ao encontro da promessa realizada pelo primeiro-ministro durante a campanha eleitoral, onde assegurava maior transparência para o futuro.

Em relação aos dados já disponíveis, é possível verificar que o salário mais baixo é de um motorista - 583 euros ilíquidos - e o mais alto o de um chefe de gabinete do ministro das Finanças que ganha 4791 euros brutos por mês, seguido do de uma adjunta do secretário de Estado da Cultura, que aufere 4724,31 euros brutos por mês.

Sócrates vs. Passos Depois de alguma confusão em relação ao número de motoristas de Passos Coelho - no debate anunciou 11, no site apareceram 14, mas a informação acabou por ser rectificada no final do dia de ontem para o número avançado por Passos - sabe-se que a equipa do primeiro-ministro vai ser composta por 35 elementos. Aos motoristas somam-se ainda oito assessores, nove secretárias e sete adjuntos. Mesmo assim, fica abaixo da equipa de José Sócrates, que, na última legislatura, contratou 53 pessoas.

A concorrer com o primeiro-ministro em matéria de motoristas está o secretário de Estado da Cultura, que, em 19 nomeações feitas, quatro são motoristas. Mais contido é o secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro, que nomeou apenas um adjunto. 

Mas é o ministro adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, para já, o campeão das nomeações. Elegeu ao todo 52, dando especial destaque aos especialistas (12), às secretárias (12) e aos adjuntos (17), que vão ser distribuídos por cinco gabinetes. Aquele ministério tem agora a tutela da Igualdade, da Administração Local e da Reforma Administrativa e do Desporto e Juventude.

Já o ministro das Finanças dispensou motorista, mas mesmo assim nomeou 38 elementos. Vítor Gaspar apostou para os seus cinco gabinetes nos adjuntos (13), nos assessores (8) e nas secretárias. 

O ministro da Saúde, Paulo Macedo, foi um dos que menos nomearam (18). E a equipa do ministro da Defesa Nacional é igualmente pequena, contabilizando sete assessores, quatro secretárias, quatro adjuntos, dois chefes de gabinete, um adjunto diplomático, um adjunto financeiro e um adjunto de imprensa. 

Já Aguiar-Branco fez 20 nomeações, enquanto a ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território recrutou 50 pessoas para o superministério que tem em mãos.

fonte:http://www.ionline.pt/

publicado por adm às 20:46 | comentar | favorito
tags:
29
Jul 11

Governo cria site para divulgar nomeações e salários

O primeiro-ministro anunciou hoje no Parlamento que já está disponível um site com os dados das nomeações do Governo.

Passos Coelho cumpriu a promessa eleitoral - de criar um site só para as nomeações governamentais - e questionado por António José Seguro sobre essa matéria, anunciou que o site das nomeações ficou disponível hoje, a partir das 9h.

No entanto, o primeiro-ministro ressalvou que o site não está ainda actualizado. "Não fizemos assim tantas [nomeações]", ironizou Pedro Passos Coelho.

Nos dados biográficos dos nomeados para os diversos ministérios destaca-se o cargo (chefe de gabinete, adjunto, assessor, secretária, colaborador ou motoristas), o nome, a idade, o vencimento bruto e o email para contacto.

fonte:http://economico.sapo.pt/n
publicado por adm às 20:47 | comentar | favorito
tags: