04
Ago 13

FMI sugere a Espanha um corte de 10% nos salários

O FMI sugere a Espanha um corte de 10% nos salários. O Fundo Monetário Internacional propõe um acordo entre empresas, sindicatos, Governo e trabalhadores. Em troca pela redução dos salários as empresas teriam de criar empregos. 

A sugestão vem no relatório anual sobre a economia espanhola, conhecido esta sexta-feira. O FMI propõe uma redução de salários de 10% e como contrapartida as empresas teriam de criar empregos - centenas de milhares de empregos, num país onde há mais de cinco milhões de pessoas sem trabalho e a taxa de desemprego está acima dos 25%.

Em troca pela criação destes postos de trabalho, cuja sustentabilidade o Fundo Monetário Internacional não especifica, seria dado às empresas um benefício fiscal: a redução das contribuições para a Segurança Social. 

Mas, e porque o Estado é chamado a esta equação, para compensar a perda de receitas fiscais, o FMI propõe a Madrid um aumento do IVA, dois anos depois do início deste programa. 

O resultado final, segundo o FMI, seria um nível de emprego 7% acima do cenário actual.

Mas a instituição sediada em Washington, e que revê neste boletim em baixa o crescimento económico espanhol, e o desemprego em alta, diz que Espanha precisa incentivar o consumo. 

Contudo, escreve que os espanhóis são muito “ricardianos”, ou seja, antecipam a situação económica e, em consequência, consomem menos, o que prejudica o crescimento. Mas, como a imprensa espanhola sublinha, o mesmo FMI que está a pedir um corte de 10% nos salários.

fonte:http://rr.sapo.pt/i

publicado por adm às 00:24 | comentar | favorito
tags:
03
Set 12

Espanha vai vigiar salários e margens nas grandes empresas

O ministro da Economia espanhol, Luis de Guindos, disse esta segunda-feira que o Governo vai «vigiar de forma muito estreita todas as situações de excesso» nas grandes empresas, tanto a nível de salários dos principais diretivos, como das margens de lucro.

Entrevistado pela rádio «Onda Cero», De Guindos referiu-se especialmente a setores como o dos combustíveis, explicando que o Governo está preocupado pelo facto de Espanha ter entre os combustíveis mais caros da Europa, quando excluído os impostos aplicados.

«Em Espanha preocupa-nos que haja uma situação na qual as margens e os preços (dos combustíveis) sejam dos mais elevados da Europa», disse De Guindos, citado pela Lusa.

Já na semana passada, o ministro da Industria, José Manuel Soria, disse que o Governo espanhol vai solicitar uma investigação para determinar o que está a causar o aumento dos preços dos combustíveis em Espanha.

Em entrevista à «TeleMadrid», Soria anunciou que solicitará à Comissão de Concorrência e à Comissão de Energia que estudem porque é que, apesar da menor pressão fiscal em Espanha, o preço antes de impostos é maior do que a média europeia.

Quer também saber, explicou, porque é que se o petróleo sobe o aumento dos combustíveis é vertiginoso, mas se o preço cai a descida da gasolina é muito lenta.

Na sua entrevista de hoje, o ministro da Economia considerou que se devem reduzir as remunerações dos conselhos de administração e dos altos executivos das empresas do Ibex35, especialmente quando muitos espanhóis vêm os seus rendimentos afetados devido às medidas do Governo.

Por isso, disse, em «momentos de aumentos de impostos e cortes de apoios», o executivo deve «extremar a vigilância de margens, salários e pensões nas grandes empresas».

«Consideramos que se, quando se estão a pedir esforços ao espanhol médio, os que estão numa situação mais privilegiada, têm que dar mais exemplo», disse.

«O Governo está absolutamente consciente de que a solidariedade é imprescindível e a solidariedade começa fundamentalmente pelos que mais têm», considerou.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt

publicado por adm às 13:26 | comentar | favorito
tags:
28
Dez 11

Rei de Espanha ganha quatro vezes mais que o primeiro-ministro

O Rei de Espanha recebe do orçamento de estado 292.752 euros, enquanto que o principe herdeiro, Filipe, aufere exactamente metade, 146.375 euros. Já no que diz respeito às mulheres da Casa Real, a Rainha e as infantas recebem 375 mil euros para despesas de representação, embora não tenha sido comunicado quanto cabe a cada uma.

 

Estes valores contrastam com as retribuições das restantes instituições do Estado. Segundo o jornal Cinco Dias, o presidente do governo, Mariano Rajoy, tem direito a 78.185 euros, o presidente do Tribunal Constitucional fica com 129.271 euros e o presidente do Tribunal de Contas recebe 112.271 euros. 

Feitas as contas conclui-se que em Espanha, Juan Carlos recebe quatro vezes mais que o chefe do governo.

A Casa Real espanhola divulgou esta manhã os gastos da monarquia do país vizinho, o que acontece pela primeira vez desde 1979. Em 2011, o total das verbas atribuídas à coroa espanhola foi 8,43 milhões de euros e todos os membros da família real estão sujeitos ao pagamento de impostos. Em concreto, o Rei paga 40% de impostos, enquanto que o Princípe das Astúrias um pouco menos.

Os maiores gastos da Casa Real relacionam-se com o pessoal, que consomem 47,89% do total das verbas. Os gastos correntes em bens e serviços ascendem a 38,8%. No total, trabalham para a Casa Real espanhola cerca de 500 pessoas.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 17:17 | comentar | favorito
tags:

Salário mínimo em Espanha vai ser congelado

Governo de Mariano Rajoy revelou aos sindicatos que planeia manter o salário mínimo nos 641 euros no próximo ano.

O novo governo espanhol, liderado por Mariano Rajoy, revelou aos sindicatos que planeia manter o salário mínimo mensal nos 641 euros no próximo ano, disse uma fonte sindical citada pela Reuters.

A mesma fonte adiantou ainda que o anúncio deverá ser feito na próxima sexta-feira, depois de um encontro do Governo. Contactado pela agência, o Governo recusou comentar o assunto.

O congelamento do salário mínimo faz parte de um urgente pacote de medidas de austeridade em antecipação ao orçamento de Estado para 2012, que deverá estar concluído até final de Março.

Recorde-se que a discussão em torno do orçamento de Estado espanhol foi adiada devido à realização de eleições em Novembro, que deu a vitória ao PP de Mariano Rajoy.

fonte:http://economico.sapo.pt/n

publicado por adm às 17:08 | comentar | favorito
tags: