Empresários prontos a negociar aumento do salário mínimo

O presidente da Confederação Empresarial de Portugal - CIP, António Saraiva, reafirma-se pronto a negociar o aumento do salário mínimo para 2014, actualmente em 485 euros.

À saída de um encontro com o vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, para discutir o guião da reforma do Estado, o representante dos empresários manifestou-se disponível para subscrever o documento sem condições prévias, numa referência à posição da UGT, que exige o aumento do ordenado mínimo.

“Impor condições para subscrever não me parece o melhor caminho, entendo contudo a UGT quando o diz”, afirmou António Saraiva.

“Sobre o salário mínimo, a nossa posição é clara e temo-lo defendido desde o princípio. Estamos disponíveis para discutir com as associações sindicais uma alteração do salário mínimo. Desde Janeiro de 2011 que colocámos em sede de concertação social essa matéria em cima da mesa”, lembrou o presidente da CIP.

“Estamos disponíveis para discutir, em critérios que sejam mensuráveis, que sejam possíveis de acompanhar pelos parceiros e não coisas que depois ninguém consegue avaliar, para em 2014 termos um novo salário mínimo, independentemente do calendário para essa alteração”, acrescentou ainda António Saraiva. 

A  UGT já disse que não entra num acordo na concertação sem um aumento do salário mínimo. No início do mês, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) recomendou a subida do salário mínimo em Portugal, ao que o Governo, reagindo pela boca do ministro do Trabalho, Pedro Mota Soares, deixou claro que não haverá mexidas no salário mínimo enquanto a “troika” não se for embora de Portugal. Mais tarde, o ministro da Economia, Pires de Lima, acrescentou que os patrões são livres de aumentarem os ordenados sem esperarem pelas decisões do Executivo. 

fonte:http://rr.sapo.pt/i

publicado por adm às 22:51 | comentar | favorito