Conheça os salários na advocacia

Ter mais de 10 anos de profissão e trabalhar numa daquelas sociedades de advogados internacionais é sínónimo de  ganhar por ano cerca de 120 mil euros. Se a sociedade é nascida e criada em Portugal, a remuneração ronda em média os 96 mil euros, segundo revela um estudo da consultora Michael Page International.

Nas áreas jurídica ou fiscal a dimensão é decididamente um factor importante quando o foco incide sobre as remunerações. De acordo com a Michael Page International, o vencimento médio anual de um advogado de uma sociedade internacional varia entre um mínimo de 90 mil a um máximo de 120 mil euros.

Mas se este mesmo jurista trabalhar num escritório português de média dimensão, o máximo que conseguirá ganhar num ano de trabalho serão cerca de 84 mil euros. Nos escritórios nacionais considerados de Top, este valor atingirá os 96 mil euros.

Além da dimensão da empresa ou do escritório, os anos de experiência também contam parta a determinação de quanto se vai ganhar. Um estagiário conseguirá auferir entre 9 mil a 18 mil euros/ano numa das sociedades mais pequenas, mas verá a sua avença anual "pular" para valores da ordem dos 19.300 a 24 mil euros se estagiar numa sociedade internacional.

Ao nível das empresas, refere o estudo, os profissionais que prestam assessoria jurídica ou fiscal auferem níveis de vencimento de acordo com a sua especialização. Um advogado generalista, cuja função passa habitualmente por acompanhar o dia-a-dia da empresa, preparar estudos ou coordenar trabalho com parceiros externos poderá ganhar entre 14 mil a 65 mil euros. Tudo depende dos anos de experiência.

Os que trabalham para grandes empresas possuem geralmente algum grau de especialização (em direito laboral, fiscal, comercial), mas nem por isso têm remunerações mais altas do que os colegas generalistas. O máximo, nestes casos, ronda os 62 mil euros anuais.

Mais bem remunerados são os que atingem o cargo de director jurídico ou fiscal. Nestes casos, uma empresa que facture mais de seis milhões de euros por ano, poderá pagar até 105 mil euros ao responsável jurídico e cerca de 110 mil euros ao director fiscal.

Estes valores reflectem somente a retribuição fixa, pelo que o valor global é mais elevado uma vez que em muitos casos (de directores, associados de escritórios ou advogados de empresa) são atribuídas remunerações variáveis que estas posições costumam ter via bónus, participação nos resultados, cartões de crédito, automóvel ou telemovel. 

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 20:03 | comentar | favorito