Salários encolheram no sector privado tanto na base como no topo

Em 2015, os salários no sector privado encolheram nas funções de topo e também nas de menor responsabilidade. A conclusão é de um estudo da consultora Mercer, que analisou mais de 112 mil postos de trabalho em 307 empresas no mercado nacional.

Tocou a quase todos, mas não na mesma medida. A maior descida salarial foi sentida nos cargos de direcção e administração: 1,6%. Na base, a queda foi menos aparatosa. Os salários recuaram pouco mais de 1,3%.

Noutras funções analisadas, até houve um ligeiro aumento, de 0,25 a 1,52%. Ainda assim, a variação foi menor do que há um ano.   

Na prática, cerca de 22% das empresas portuguesas optaram por congelar o salário dos trabalhadores, conclui o estudo da Mercer.

Outro dado a merecer relevo indica que a maioria dos empresários pretende manter o actual número de funcionários, mas é maior a fatia das empresas que pretende engrossar os seus efectivos (26%).

Quanto a emagrecer o número de trabalhadores, é uma solução apenas admitida por 14% dos empresários.

fonte:http://rr.sapo.pt/

publicado por adm às 11:37 | comentar | favorito
tags: