Patrões só aceitam aumentar salário mínimo em Janeiro de 2015

A Confederação do Comércio Português (CCP) está disponível para aumentar o salário mínimo nacional, mas só aceita aumentar o ordenado mínimo em Janeiro do próximo ano.

À entrada para a reunião da concertação social, convocada pelo ministro da Segurança Social, Pedro Mota Soares, o representante da CCP, João Vieira Lopes, esclareceu que “todos os anos tem estado de acordo em que se aumente o salário mínimo nacional”.

“O Governo não pode, não quis ou não soube negociar essa alteração. A nossa opção é sempre clara: todos os anos estamos dispostos a aumentar o salario mínimo nacional a 1 de Janeiro, não antes”, declarou. 

Por seu lado, a CGTP defende que o salário mínimo deve subir já em Junho e para os 515 euros, ou seja, mais 30 euros que o valor actual. O secretário-geral da intersindical, Arménio Carlos, considera ainda que a discussão do salário mínimo nacional não deve ser misturada com outras matérias.

“Creio que vamos entrar numa nova fase de simulacro de discussão. Para nós, a discussão do salario mínimo nacional tem de ser feita autónoma de qualquer outra discussão, porque há um processo para encerrar, há um acordo que não foi cumprido e que precisa de ser concretizado”, defende.

“Misturar o salario mínimo nacional com a discussão de outras matérias é viciar o jogo e subverter o diálogo e a negociação, e é por isso que dizemos que, mais do que falar, é necessário melhorar o salario mínimo. Nós reclamamos que a actualização seja feita de imediato, a dia 1 de Junho, e depois vamos discutir o resto”, sublinhou Arménio Carlos.

O aumento do salário mínimo é um dos assuntos em cima da mesa esta segunda-feira na concertação social, juntamente com outros temas como a reforma do Estado, as políticas de emprego e o estímulo à natalidade.

fonte:http://rr.sapo.pt/i

publicado por adm às 21:00 | comentar | favorito