Lusófona faz cortes salariais de 60% a professores

Sindicato denuncia ordem de serviço da Lusófona com nova tabela de remuneração por hora. Os professores mais afectados são os que têm turmas com menos de dez alunos.

A Universidade Lusófona fez, em Outubro, cortes nos salários dos professores que chegam aos 60% que resulta da redução da carga horária e do corte no valor pago por hora. A denúncia foi feita pelo Sindicato Nacional do Ensino Superior (SNESup) depois da universidade privada ter emitido uma ordem de serviço com novos valores por hora que definem a remuneração mensal dos professores. Em causa estão os professores com turmas de poucos alunos, sendo o corte mais acentuado nas turmas com menos de 10 alunos.

De acordo com as tabelas salariais fixadas - a que o Diário Económico teve acesso - um professor doutorado a tempo integral (12 horas de aulas semanais), com turmas que tenham menos de 10 alunos recebe um salário de 842 euros ilíquidos, que aplicando os respectivos descontos fica reduzido a um total de cerca de 650 euros por mês. Em 2012, um professor na mesma situação recebia 1.347 euros ilíquidos mensais.

Além deste corte, o sindicato diz que a Lusófona já tinha procedido a uma redução de 10% nos salários dos docentes, "que não tinham qualquer aumento há mais de dez anos" e que "não efectuou o pagamento na totalidade do subsídio de Natal de 2012, nem de qualquer montante relativo ao subsídio de férias" deste ano.

Situação que está a levar alguns dos 800 professores da universidade privada a "uma situação de desespero" e terão mesmo "solicitado à instituição que os despedisse".

Contactada pelo Diário Económico, a Universidade Lusófona ainda não prestou declarações quanto a esta situação.  

 fonte:http://economico.sapo.pt/n

publicado por adm às 22:52 | comentar | favorito