Salários dos portugueses caíram 9% nos últimos dois anos

As remunerações dos trabalhadores caíram 8,8% no ano terminado no primeiro trimestre de 2013 em comparação com o ano terminado no primeiro trimestre de 2011.

Segundo os dados publicados esta manhã pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), as famílias receberam 79 mil milhões de euros em remunerações nos 12 meses terminados em Março deste ano, uma queda de 0,5% face ao ano terminado no quarto trimestre de 2012, quando a queda tinha sido mais forte (-2,9%).

 

"A redução menos acentuada das remunerações foi influenciada pelo pagamento de subsídios em duodécimos", explica o INE. "No caso do sector público, o subsídio de Natal é pago em 2013 em duodécimos, enquanto no sector privado foi possível optar pelo pagamento de metade do subsídio de férias e metade do subsídio de Natal em duodécimos."

 

O indicador está a registar quebras consecutivas desde o primeiro trimestre de 2011. No ano terminado nesse ponto, as remunerações recebidas foram 86,6 mil milhões de euros. Ou seja, observa-se uma quebra de 8,8% em dois anos.

 

Estas quebras estão relacionadas, por um lado, com a destruição de emprego e, por outro, com os cortes significativos nos salários dos funcionários públicos.

 

Apesar da queda das remunerações, o rendimento disponível dos portugueses teve um ligeiro aumento no início de 2013, devido aos avanços registados nos rendimentos de propriedade (juros) e nas prestações sociais.

 

Estas variações resultaram numa alteração da composição do rendimento das famílias, cada vez mais dependentes de apoios sociais. "Essa alteração exprime-se designadamente na redução do peso relativo das remunerações e no aumento dos pesos relativos dos rendimentos líquidos de propriedade, essencialmente constituídos pelo saldo entre juros recebidos e juros pagos, e das prestações sociais líquidas de contribuições sociais", refere o INE.

fonte:http://www.jornaldenegocios.pt/

publicado por adm às 00:06 | comentar | favorito